Identidade

A utilização dos documentos de identidade eletrônica ou eID (Electronic Identity) está se consolidando como uma importante ferramenta para validação de dados e a interoperabilidade entre os mais variados sistemas atuais. Entretanto, a crescente necessidade de geração destes eIDs no mercado público e privado, para gerar credenciais para os mais diversos tipos de acesso, esbarra em algumas questões que merecem atenção especial. 

A primeira delas é a necessidade de permitir a validação destes eIDs de forma fácil e rápida aos usuários e órgãos que dela necessitem. Enquanto o documento físico possui alguns dispositivos de segurança para serem emitidos em papel, a geração dos eIDs exige uma série de dispositivos de segurança associados, o que leva a uma validação infinitamente superior aos dispositivos de segurança encontrados no papel, como acontece com o RG Digital, lançado recentemente na Paraíba com a tecnologia da Vsoft

Entretanto, também é necessário permitir que usuários e entidades públicas e privadas tenham acesso facilitado para a validação da emissão dos eIDs, tornando factível a utilização destes em detrimento do documento em papel. 

Outro ponto interessante a ser discutido é a adoção de serviços públicos e privados que possam aderir a um método de autenticação e autorização de acesso que utilize os eIDs. É fundamental e necessário que seja possível fazer uso de uma eID para acesso a serviços que, até então, ensejariam em uma análise ou verificação presencial do documento de identificação em papel. 

Benefícios do documento de identificação digital

Com a adoção de uma eID, torna-se possível oferecer diversos serviços públicos e privados, com a segurança necessária para a lisura de processos, como: matrículas, aberturas de contas, segunda via de documentos, registros de saúde, vacinação, autorização de exames e uma série de possibilidades nas mais diversas esferas do setor público e privado. 

Além disso, é importante salientar que uma identidade eletrônica permite a obtenção de informações de identidade a partir de métodos de identificação, combinação e confirmação dos dados obtidos de fontes externas. 

Assim, a solução possibilita uma varredura completa nos mais diversos sistemas, permitindo uma diminuição drástica nos riscos de fraudes, uma vez que os processos agora passam a conter várias etapas de validação de dados biográficos, biométricos, históricos processuais, entre outras fontes. Foi pensando nisso que a Vsoft integrou, entre inúmeros fatores, tecnologias como biometria, inteligência de dados e blockchain para trabalhar em soluções de identidade digital desenvolvidas pela equipe.

É possível, inclusive, combinar vários outros eIDs e fortalecer os dados de forma única, gerando uma fonte de informação cada vez mais confiável para as entidades públicas e privadas. 

Em vias gerais, a substituição do documento de identificação em papel para um digital é, acima de tudo, possibilitar a aproximação do cidadão com serviços distintos de forma facilitada, gerando menos burocracia e otimizando o tempo do mesmo. 

Desta forma, além de oferecer mais segurança ao cidadão, o documento digital passa a funcionar como recurso de extensão dos serviços públicos aos cidadãos que, por fronteiras geográficas ou distanciamento das áreas urbanas, por muitas vezes, não possuíam acesso. De igual forma, no setor privado, várias empresas conseguem expandir a sua atuação, garantindo a identidade de seus possíveis clientes.

Se você gostou deste artigo, convido-o(a) para acompanhar outros conteúdos do blog da Vsoft, que reúne temas como governo digital, identidade, inteligência artificial e muito mais.

Author

Ms. Fábio Falcão

Product Manager

Posts relacionados

Todos os posts
go  top